paris.

Data da viagem: 3 de janeiro – 31 de janeiro de 2011 | 23 de setembro – 30 de setembro de 2011

paris

Paris para mim é o tipo de cidade que ou você ama ou detesta. Eu comecei há alguns anos odiando a cidade, mas hoje sou fã. Escrever sobre ela é complicado porque por ser uma cidade grande, tem muitas atrações turísticas, muitos museus, muito de tudo. Por isso vou fazer uma compilação das melhores dicas que tenho que normalmente não estão em guias e dos meus lugares favoritos na cidade.

Para quem chega em uma segunda-feira e vai ficar pelo menos 4 dias na cidade, vale a pena comprar o passe semanal no cartão de transporte local chamado Navigo. A validade é de segunda a domingo e sai bem mais em conta que comprar os bilhetes individuais que valem apenas para uma viagem e custam EUR1,70 cada. Você só vai precisar da Zona 1 e 2 e, por EUR18,85, vai poder usar o transporte público parisiense livremente. É importante colocar uma foto 3×4 no cartão e os fiscais exigem que o seu cartão tenha uma.

Uma das melhores coisas a se fazer ao chegar em Paris para se situar, é participar do Free Walking Tour que sai todos os dias às 11h e às 13h da Place Saint-Michel. O tour é muito bom, as três vezes que estive em Paris eu participei. É uma forma também de descobrir pequenas curiosidades e fatos históricos sobre a cidade que não se pode descobrir em livros de viagem ou tours convencionais.

Quanto aos museus, evite o Louvre. Está sempre lotado e é grande demais, você nunca verá tudo que há ali de qualquer jeito. É claro que ver a Monalisa e a Vênus de Milo é um sonho para muita gente, por isso faça um plano. Estude o mapa do museu para pegar o acesso mais próximo a uma das duas obras e saber o melhor caminho para chegar de uma a outra e depois, para a saída. Já para entrar, procure a Porte des Lions no lado do museu mais próximo ao rio. A fila é bem menor que a gigantesca fila pela entrada principal na pirâmide de vidro.

Museus que realmente valem a pena serem vistos são o Musée d’Orsay e o Musée du Quai Branly, sendo o último meu museu preferido em todo o mundo e infelizmente muito pouco conhecido ainda pelos turistas.

Para os vegetarianos, recomendo muito o Saveurs Végét’ Halles com muitas opções vegans também. Os que gostam de pratos apimentados podem experimentar o Tien Hiang, um chinês delicioso com duas filiais em Paris. Para comida indiana e vegetariana em um restaurante bem local de Paris, tente o Krishna-Bhravan.

Como o metrô em Paris fecha cedo (2h no fim de semana e por volta de 00:30 durante a semana), os bares também costumam fazer o mesmo. Para uma noite animada, vale a pena sair mais cedo de casa, por volta das 20h. Há dois pontos em Paris com bares legais. Um é ao redor da estação de metrô Bastille, que é muito animado com vários bares e restaurantes e um monte de gente na rua (até no inverno), inclusive alguns turistas e o outro é a rue Oberkampf cheia de bares e pubs e mais frenquentados pelos grupos de parisienses mais alternativos.

Anúncios

Uma resposta para “paris.

  1. Quero conhecer o Musée du Quai Branly!!! Acozinha francesa é deliciosa!!Os crepes na rua são imperdíveis,.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s