nampula x mandimba.

Data da viagem: 10 de março – 11 de março de 2011

Atravessar a fronteira de Moçambique para o Malaui por terra pode ser bem cansativo, portanto vale a pena reservar três dias para isso: o primeiro para o trecho até a fronteira; o segundo para atravessar a fronteira e ir até a cidade desejada no Malaui; e o terceiro para descansar disso tudo. A viagem é uma aventura que vale a pena se você for o tipo de pessoa que gosta de viver novas experiências e sentir a essência de um lugar quando viaja. Caso não seja este tipo de pessoa, pegue um avião da LAM para Lichinga.

Nampula é uma cidade cara e grande, então prepare a carteira para pagar a acomodação e o táxi para a estação de trem. O trem (em Moçambique diz-se “comboio”) sai às cinco da manhã, mas é aconselhável chegar lá às quatro da manhã no máximo, porque as coisas podem ficar bem confusas e você vai querer conseguir um lugar para colocar a bagagem.

O trem vai de Nampula para Cuamba e nele existem duas classes: a segunda (331MTn) e a terceira (132MTn). Só existe um trem que sai de Nampula às terças, quintas e sábados e volta de Cuamba para Nampula às quartas, sextas e domingos. É altamente recomendável comprar a passagem para a segunda classe porque a terceira é muito amontoada e a viagem tem quase 12 horas de duração. A segunda classe tem vagão marcado com quatro camas, mas o problema é que eles colocam oito pessoas por vagão, então as camas viram dois bancos para estas oito pessoas. Ao longo da viagem o trem vai parando em várias cidadezinhas onde os passageiros vão comprando mantimentos pela janela por preços bem econômicos. Vale a pena fazer a reserva de mantimentos aí, mas lembre de levar dinheiro trocado. Ao lado da segunda classe existe um vagão lanchonete e durante toda a viagem alguns vendedores ambulantes vão passando por dentro do trem, de vagão em vagão, com biscoitos e refrigerante gelado.

Ao sair do trem em Cuamba você vai encontrar muitas opções de transporte para Lichinga e Mandimba em minibus (van) ou chapas (caçamba de pequenos caminhões). Os minibuses para Mandimba não saem todos os dias e dificilmente saem no mesmo dia em que o trem chega. A melhor opção para atravessar a fronteira é por Mandimba por ser mais perto de Cuamba e da fronteira, mas caso você queira fazer uma parada mais longa de descanso antes de atravessar, vale ir para Lichinga onda há mais estrutura e beleza. O tempo de viagem para Mandimba vai depender da condição da estrada que é de terra. Com a estrada razoavelmente boa, a viagem demora aproximadamente 7 horas com muito balanço e desconforto, então corra para pegar um bom lugar e não pague mais que 200MTn pela viagem.

Em Mandimba, bem em frente do lugar onde a chapa deixa seus passageiros, há uma hospedagem bem simples, mas justa por 250MTn o quarto duplo, mas não há banheiro, apenas uma latrina. Já na Pensão Massinga (500MTn) há banheiro normal e um restaurante.

Para atravessar a fronteira pegue um mototáxi (100MTn) ou um bicitáxi (50MTn), mas combine muito bem o preço e o local onde irão deixá-lo. Após a saída de Moçambique ainda há um bom trecho até chegar na fronteira de entrada do Malaui. Lembre-se de tirar o visto no Brasil (por mais que digam que não precisa) porque as fronteiras terrestres do Malaui não têm autoridade para emitir vistos para turistas e isso pode dar uma grande dor de cabeça. Como no Brasil há apenas um Consulado Honorário, a melhor opção é tirar o visto em Maputo ou Johannesburg que é muito mais rápido e eficiente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s